Categoria: Artigos-Cartilhas

Este Guia se inclui numa longa história do Ministério do Trabalho e Emprego na busca pela redução dos acidentes de trabalho.

Em seu processo de auditoria em SST, de normatização e de capacitação, em parceria com a sociedade através da Comissão Tripartite Paritária Permanente – CTPP, o MTE, por meio do Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho - DSST tem empreendido esforços com o intuito de melhorar continuamente as condições de trabalho e ampliar a cidadania



Planejando a fuga de incêndio

Ninguém espera um incêndio. Mas é muito importante ter um plano de fuga no caso de um sinistro. O incêndio pode acontecer em qualquer lugar: na sua casa/apartamento ou local de trabalho.

No caso de Incêndio, não entre em pânico e nem tome atitude precipitada. Pense antes de agir. Os incêndios não acontecem só com os outros. Se o local onde você mora ou trabalha tiver os sistemas preventivos contra incêndio previstos nas Normas de Segurança Contra Incêndios do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina (NSCI) pode ter certeza que suas chances são grandes de sair ileso, mas senão, seja prudente, e planeje a sua fuga do ambiente. Inicialmente você deve mentalizar as portas de saídas, se todas estão abertas e para onde levam. Preocupe-se com o pavimento que você se encontra. Caso você utilizou o elevador, procure saber qual é a localização das escadas. Guarde também na mente onde estão localizados os extintores. Lembre-se que, via de regra, todo incêndio começa pequeno, e se não for controlado no início, pode atingir proporções que o próprio Corpo de Bombeiros terá dificuldade em controlá-lo. E por Favor... Nos ajude a prevenir incêndios, exija dos proprietários das edificações que você freqüenta que os sistemas de proteção contra incêndios sejam instalados e mantidos.



O mercado de trabalho vive uma crise desde o final do século passado. Além disso, o desemprego, a flexibilização, a desregulamen- tação dos direitos trabalhistas e a debilidade dos órgãos fiscalizadores, promotores e juizes do trabalho levaram a deterioração crescente e continua do mercado e das condições de trabalho. O que se vê é uma total falta de respeito aos direitos do trabalhador, que vem sendo pre- judicado, explorado e escravizado a cada dia.



Os acidentes são evitados com a aplicação de medidas específicas de segurança, selecionadas de forma a estabelecer maior eficácia na prática. As prioridades são:

  • Eliminação do risco: torna-lo definitivamente inexistente. Ex.: escada com piso escorregadio, que deverá ser trocado por piso emborrachado e antiderrapante;
  • Neutralização do risco: o risco existe, mas está controlado. Esta alternativa é usada na impossibilidade temporária ou definitiva da eliminação de um risco. Ex.: partes móveis de uma máquina – engrenagens, polias, correias, etc. – devem ser neutralizadas com um anteparo protetor, já que não podem ser eliminadas;
  • Sinalização do risco: medida adotada quando não for possível eliminar ou isolar o risco. Ex.: máquinas em manutenção devem ser sinalizadas com advertência; locais onde é proibido fumar devem ser devidamente sinalizados.


1. O QUE É BULLYING?
O bullying é um termo ainda pouco conhecido do grande público. De origem inglesa sem tradução ainda no Brasil, é utilizado para qualificar comportamentos agressivos no âmbito escolar, praticados tanto por meninos quanto por meninas.Os atos de violência (física ou não) ocorrem de forma intencional e repetitiva contra um ou mais alunos que encontram impossibilitados de fazer frente às agressões sofridas. Tais comportamentos não apresentam motivações específicas ou justificáveis. Em última instância, significa dizer que, de forma “natural”, os mais fortes utilizam os mais frágeis como meros objetos de diversão,prazer e poder, com o intuito de maltratar, intimidar, humilhar e amedrontar suas vítimas.



Os excessos nas brincadeiras entre colegas na escola, tidas por muitos como situações típicas da idade, mostram ter uma face cruel paras as vítimas das ofensas. Desde que o bullying entrou pelos portões das escolas, padagogos, pesquisadores e a comunidade jurídica receberam o desafio de identificar, combater e, principalmente, previnir esta prática.

Díficil encontrar quem não tenha ouvido falar de bullying, mas aqueles que ainda não conhecem, vão entender proque é mais do que uma brincadeira sem graça entre crianças e adolescentes.

O bullying é caracterizado por diversos atos de agressão a desrespeito, Como por exemplo:

  • Fisicamente: tapas, beliscões e xingamentos;
  • Verbalmente: apelidos maldosos e xingamentos;
  • Moralmente: intimidações, ameaças e fofocas;
  • Sexualmente: assédios e abusos.

 



O folder Cantada não é elogio faz parte da campanha contra assédio sexual e opressão de gênero que a Comissão Interna de Saúde do Servidor (Cissp) da Fundacentro iniciou em novembro de 2015. Trata-se de fazer refletir acerca das situações em que as pessoas, em especial as mulheres, não têm como reagir diante de práticas sutis ou explícitas de investidas sexuais não consentidas no ambiente de trabalho. Alerta ainda para os danos à saúde e propõem sair de uma posição submissa para uma atitude mais ativa.



Esta cartilha é para você trabalhador da construção civil, em cuja atividade profissional ocorre o maior número de acidentes, em todo o Brasil, o que ocasiona perdas significativas às Empresas e a Previdência. 

Tem como objetivo levar a seu conhecimento algumas regras e procedimentos de segurança, constantes na NR-18, Norma Regulamentadora específica para a construção civil, na certeza de que sempre adotados, estarão contribuindo para a certeza de que sempre adotados, estarão contribuindo para a redução de acidentes e perdas impossíveis de serem recuperadas, como a vida de um ser humano pai, filho, irmão, esposo...



Com o objetivo de garantir a saúde e a segurança dos produtores e trabalhadores no cultivo do tabaco e o cumprimento da NR 31, bem como a observância da legislação trabalhista e previdenciária, as representações dos trabalhadores e produtores rurais FETAESC (FEDERAÇÃO DOS TRABALHADORES NA AGRICULTURA DO ESTADO DE SANTA CATARINA) e FAESC (FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO ESTADO DE SANTA CATARINA), além da AFUBRA (ASSOCIAÇÃO DOS FUMICULTORES DO BRASIL) elaboraram esta cartilha, com o apoio do MTE-SC (MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO DE SANTA CATARINA).



Durante uma enchente, é possível que a água e os alimentos não estejam em condições adequadas para consumo, exigindo-se, desta forma, procedimentos básicos para garantir sua qualidade. Cuidado com a água para consumo. A ingestão de água contaminada pode causar diarreias e doenças parasitárias.