Guia de Análise Acidentes de Trabalho


Apresentação

Este Guia se inclui numa longa história do Ministério do Trabalho e Emprego na busca pela redução dos acidentes de trabalho.

Em seu processo de auditoria em SST, de normatização e de capacitação, em parceria com a sociedade através da Comissão Tripartite Paritária Permanente – CTPP, o MTE, por meio do Departamento de Segurança e Saúde no Trabalho - DSST tem empreendido esforços com o intuito de melhorar continuamente as condições de trabalho e ampliar a cidadania.

Nas Normas Regulamentadoras alteradas nos últimos vinte anos, a questão da importância da análise de eventos adversos foi inserida e va- lorizada.

Entretanto, as análises realizadas pela maioria das empresas continuam frágeis, quase sempre apontando apenas falhas humanas e atribuindo culpa aos acidentados. Nesse contexto, os principais fatores relacionados com a ocorrência dos acidentes não são identificados, persistindo assim a elevada incidência desses eventos, gerando custos econômicos e sociais injustificáveis.

A publicação foi elaborada com a colaboração dos instrutores do Curso de Análise de Acidentes de Trabalho do Projeto Sirena – Sistema de Refe- rência em Análise de Acidentes de Trabalho, coordenados pelos Auditores Fiscais do Trabalho Ivone Corgosinho Baumecker, Mauro de Andra- de Khouri e Viviane de Jesus Forte.

Esperamos que este Guia auxilie Auditores Fiscais do Trabalho, empre- sas, sindicatos, profissionais da área de SST e demais interessados na abordagem dos eventos adversos, produzindo um ambiente de trabalho mais seguro e saudável.

Índice

Reduzir riscos e proteger os trabalhadores

1. Objetivo
2. Compreendendo a linguagem da análise
3. Razões para se analisar eventos adversos
3.1 Porque analisar eventos adversos relacionados com o trabalho?
3.2 O que se ganha com uma boa análise?
4. Sistema de análise de eventos adversos
4.1 Benefícios resultantes de um sistema de análise de eventos adversos
5 Fatores ou condições relacionados com a ocorrência de eventos adversos
6. Quais eventos adversos devem ser analisados
7. Quem deve participar da análise dos eventos adversos?
8. Quando a análise de eventos adversos deve começar?
9. O que a análise de eventos adversos deve abranger?
9.1 O que faz uma análise ser adequada?
10. Procedimentos a serem adotados pelas empresas em caso de eventos adversos 
11. Análise de eventos adversos 
11.1 Etapa I - Coleta de dados
11.2 Etapa II - Análise das informações 
11.3 Etapa III - Identificação das medidas de controle 
11.4 Etapa IV - Plano de ação
12. Anexos

Visualize a baixe o arquivo completo abaixo.

Arquivos para Visualização / Download


Nome do Arquivo Ações
Guia Completo

Compartilhe


Dados do artigo


Qtde. Acessos
141
Fonte
Recebido por e-mail
Autor(ers)
Ministério do Trabalho e Emprego
Criado
28/05/2020 05:47