bootsnipp

Portal SESMT

Sua segurança em primeiro lugar


Sinalização de Segurança - NR-26/NBR 6493 e NBR 7195


Sinalização de Segurança é tratada na NR-26. Esta norma trata das fixações de cores padrão que devem ser usadas nos locais de trabalho para a prevenção de acidentes, identificando os equipamentos de segurança, delimitando áreas, identificando as canalizações empregadas para a condução de líquidos e gases, e advertindo contra riscos.

A NR-26 inicial trazia detalhes sobre o uso de cores e outros recursos diversos para identificação, incluindo sinalização para identificação de substâncias perigosas, de recipientes para movimentação de materiais e rotulagem preventiva. A atual está bem mais enxuta (alterada pela Portaria SIT n.º 229, de 24 de maio de 2011) , a nova redação é:

26.1.2 As cores utilizadas nos locais de trabalho para identificar os equipamentos de segurança, delimitar áreas, identificar tubulações empregadas para a condução de líquidos e gases e advertir contra riscos, devem atender ao disposto nas normas técnicas oficiais

Por causa do item acima, entende-se que a NR-26 indica que devemos ter obediência a normas técnicas oficiais vigentes.

Neste artigo o nosso foco é falar sobre as cores de tubulações e cores para segurança. Para isto vamos seguir as normas ABNT NBR 6493 - Emprego das cores para identificação de tubulações e ABNT NBR 7195 - Cores para segurança.

Tabelas com cores de tubulações, seguindo a ABNT NBR 6493.

Cor de Tubulações Utilização
Vermelho Água e outras substâncias destinadas a combater incêndio.
Alaranjado Produtos químicos não gasosos
Amarelo Gases não liquefeitos
Verde Água, exceto a destinada a combater incêndio
Azul Ar comprimido
Branco Vapor
Preto Inflamáveis e combustíveis de alta viscosidade (por exemplo: óleo combustível, asfalto, alcatrão, piche)
Marrom Materiais fragmentados (minérios), petróleo bruto
Cinza-Claro Vácuo
Cinza-Escurro Eletroduto
Alumínio Gases liquefeitos, inflamáveis e combustíveis de baixa viscosidade (por exemplo: óleo Diesel, gasolina, querosene, óleo lubrificante, solventes)


Tabelas com cores para sinalização, seguindo a ABNT NBR 7195.
Não se esqueça, recomenda-se o uso das cores de contraste da Tabela, para se melhorar a visibilidade da sinalização e as cores de contraste também podem ser usadas na forma de listas ou quadrados, para destacar a visibilidade, porém a sua área não pode ultrapassar 50% da área total.
 

Cor Normal Cor de Contraste Aonde deve-se empregar
É a cor empregada para identificar e distinguir equipamentos de proteção e combate a incêndio, e sua localização, inclusive portas de saída de emergência.
Os acessórios destes equipamentos, como válvulas, registros, filtros, etc., devem ser identificados na cor amarela.
A cor vermelha não deve ser usada para assinalar perigo.
A cor vermelha também é utilizada em sinais de parada obrigatória e de proibição, bem como nas luzes de sinalização de tapumes, barricadas, etc., e em botões interruptores para paradas de emergência.
Nos equipamentos de soldagem oxiacetilênica, a mangueira de acetileno deve ser de cor vermelha (e a de oxigênio de cor verde).
É a cor empregada para indicar “perigo”. É utilizada, por exemplo, em:
  1. Partes móveis e perigosas de máquinas e equipamentos;
  2. Faces e proteções internas de caixas de dispositivos elétricos que possam ser abertas;
  3. Equipamentos de salvamento aquático, como bóias circulares, coletes salva-vidas, flutuadores salva-vidas e similares.
É a cor usada para indicar “cuidado!”. É utilizada, por exemplo, em:
  1. Escadas portáteis, exceto as de madeira, nas quais a pintura fica restrita à face externa até a altura do 3º degrau, para não ocultar eventuais defeitos;
  2. Corrimãos, parapeitos, pisos e partes inferiores de escadas que apresentem riscos;
  3. Espelhos de degraus;
  4. Bordas de portas de elevadores de carga ou mistos, que se fecham automaticamente;
  5. Faixas no piso de entrada de elevadores de carga ou mistos e plataformas de carga;
  6. Meios-fios ou diferenças de nível onde haja necessidade de chamar atenção;
  7. Faixas de circulação conjunta de pessoas e empilhadeiras, máquinas de transporte de cargas, etc.;
  8. Faixas em torno das áreas de sinalização dos equipamentos de combate a incêndio;
  9. Paredes de fundo de corredores sem saída;
  10. Partes superiores e laterais de passagens que apresentem risco;
  11. Equipamentos de transporte e movimentação de materiais, como empilhadeiras, tratores, pontes rolantes, pórticos, guindastes, vagões e vago-netes de uso industrial, reboques, etc., inclusive suas cabines, caçambas e torres;
  12. Fundos de letreiros em avisos de advertência;
  13. Pilastras, vigas, postes, colunas e partes salientes de estruturas e equipamentos que apresentem risco de colisão;
  14. Cavaletes, cancelas e outros dispositivos para bloqueio de passagem;
  15. Pára-choques de veículos pesados de carga;
  16. Acessórios da rede de combate a incêndio, como válvulas de retenção, registros de passagem, etc.;
  17. Faixas de delimitação de áreas destinadas à armazenagem.
É a cor usada para caracterizar “segurança”. É empregada para identificar:
  1. Localização de caixas de equipamentos de pri-meiros socorros;
  2. Caixas contendo equipamentos de proteção individual;
  3. Chuveiros de emergência e lava-olhos;
  4. Localização de macas;
  5. Faixas de delimitação de áreas seguras quanto a riscos mecânicos;
  6. Faixas de delimitação de áreas de vivência (áreas para fumantes, áreas de descanso, etc.);
  7. Sinalização de portas de entrada das salas de atendimento de urgência;
  8. Emblemas de segurança.

Obs: Nos equipamentos de soldagem oxiacetilênica, a mangueira de oxigênio deve ser de cor verde (e a de acetileno de cor vermelha).

É a cor empregada para indicar uma ação obrigatória, como, por exemplo:
  1. Determinar o uso de EPI (Equipamento de Proteção Individual) (por exemplo: “Use protetor auricular”);
  2. Impedir a movimentação ou energização de equipamentos (por exemplo: “Não ligue esta chave”, “Não acione”).
É a cor usada para indicar os perigos provenientes das radiações eletromagnéticas penetrantes e partículas nucleares. É empregada, por exemplo, em:
  1. Portas e aberturas que dão acesso a locais onde se manipulam ou armazenam materiais radioativos ou contaminados por materiais radioativos;
  2. Locais onde tenham sido enterrados materiais radioativos e equipamentos contaminados por materiais radioativos;
  3. Recipientes de materiais radioativos ou refugos de materiais radioativos e equipamentos contamina-dos por materiais radioativos;
  4. Sinais luminosos para indicar equipamentos produtores de radiações eletromagnéticas penetran-tes e partículas nucleares.
  1. Faixas para demarcar passadiços, passarelas e corredores pelos quais circulam exclusivamente pessoas;
  2. Setas de sinalização de sentido e circulação;
  3. Localização de coletores de resíduos;
  4. Áreas em torno dos equipamentos de socorros de urgência e outros equipamentos de emergên-cia;
  5. Abrigos e coletores de resíduos de serviços de saúde.
É a cor empregada para identificar coletores de resíduos, exceto os de origem de serviços de saúde.


Abaixo lista com outras normas técnicas oficiais vigentes que devemos seguir:

  • ABNT NBR 5311 - Código em cores para resistores fixos;
  • ABNT NBR 6493 - Emprego das cores para identificação de tubulações;
  • ABNT NBR 6503 - Cores;
  • ABNT NBR 7195 - Cores para segurança;
  • ABNT NBR 7485 - Emprego de cores para identificação de tubulações em usinas e refinarias de açúcar e destilarias de álcool;
  • ABNT NBR 7500 - Identificação para o transporte terrestre, manuseio, movimentação e armazenamento de produtos;
  • ABNT NBR 7998 - Perfis de aço - Identificação das especificações de aços por cor;
  • ABNT NBR 8421 - Identificação por cores das tubulações em embarcações;
  • ABNT NBR 8663 - Ascaréis para aplicações elétricas - Ensaios;
  • ABNT NBR 9072 - Emprego de cores para sinalização de segurança em instalação fixa e em veículo ferroviário;
  • ABNT NBR 12176 - Cilindros para gases - Identificação do conteúdo;
  • ABNT NBR 12964 - Tecnologia de informação - Técnicas criptográficas de dados - Modos de operação de um algoritmo de cifração de blocos padrão;
  • ABNT NBR 13193 - Emprego de cores para identificação de tubulações de gases industriais;
  • ABNT NBR 13434 - 2 - Sinalização de segurança contra incêndio e pânico - Parte 2 - Símbolos e suas formas, dimensões e cores;
  • ABNT NBR 14725 - Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos (FISPQ);
  • Capítulo V do Título II da CLT - Refere-se à Segurança e Medicina do Trabalho;
  • Convenção OIT 170 - Produtos Químicos;
  • Decreto no 2.657, de 03/07/98 - Promulga a Convenção no 170 da OIT, relativa à segurança na utilização de produtos químicos no trabalho;
  • Decreto no 96.044, de 18/05/88 - Aprova o Regulamento para o Transporte Rodoviário de Produtos Perigosos;
  • NFPA 704 - Standard for the identification of the fire hazards of materials for emergency response;
  • Resolução ANTT no 420, de 12/02/04 - Aprova as Instruções Complementares ao Regulamento do Transporte Terrestre de Produtos Perigosos em substituição à Portaria MTb no 204, de 20/05/97.

 


Dados do artigo


Fonte:
NR-26, ABNT NBR 6493 e ABNT NBR 7195
Autor(ers):
www.sesmt.com.br
Qtde. Acessos:
54249
Seção/Categoria:
Artigos Artigos



Usuário: Admin | Criado: 06/05/2015 23:08:55 | 0 comentários | 0 compartilhamentos

Compartilhe




Você também pode se interessar por



Obseravações:

  1. Caso o artigo estiver desatualizado, informando-me, o mesmo será retirado do site;
  2. Informar / identificar causa da desatualização;
  3. Como buscamos conteúdos em listas de discussão, muitas vezes não sabemos o autor das publicações. Se algum artigo do site for de sua propriedade, e for de interesse adicionar você como autor ou retirar o artigo do site, entre em contato.